My cart
0.00 
0

My Cart

  • Nenhum produto no carrinho.

História

2017

Nova loja no centro de Cascais

O Concelho de Cascais conta com mais uma loja de nome Torres Joalheiros. Agora, no centro de Cascais, na Alameda dos Combatentes da Grande Guerra, o mais recente espaço Torres, abriu oficialmente ao público, no dia 22 de março. Com uma posição privilegiada, num lugar de prestígio, a Torres Joalheiros promete trazer à vila as já conhecidas marcas que a casa joalheira representa: Rolex, Chopard, Tag Heuer, Jaeger-LeCoultre, Messika, Girard Perregaux, Tudor, entre muitas outras. Um estabelecimento que merece uma visita muito especial, a sua.

A par com mais de 50 colaboradores, encontramos a quarta e quinta geração Torres à frente da empresa, João Carlos e os seus filhos, Ricardo e Paulo, ambos fazem parte da administração. Marta e José Pedro, filhos de Pedro Torres, têm a seu cargo a Torres Distribuição.
Ainda da família, é possível contar com Filomena e Rita Torres, responsáveis pela gestão de stocks de relojoaria e de joalharia, respetivamente.

A estratégia da marca, apesar de assentar nos mesmos pilares ao longo de 106 anos, tem evoluído com os tempos e os hábitos de consumo. Existe um enfoque cada vez maior na personalização do serviço, tendo sido criados novos serviços, como o Private, um serviço personalizado para empresários e responsáveis de compras, ou mesmo a abertura de Listas de Presentes de Casamento ou outras festividades, agora também online.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

2014

Forever by Torres

2014

Apresentação da coleção Forever by TORRES,

mais uma coleção do Grupo.

Guardar

Guardar

Guardar

2013

Abertura da Flagship Store Torres na Avenida da Liberdade

A última loja Torres Joalheiros a inaugurar é, coincidentemente, a sua Flagship store. Em plena Avenida da Liberdade, este espaço apresenta a maior extensão de montra da alta relojoaria e joalharia da capital. Conjuga espaços personalizados Rolex, Chopard e Jaeger-LeCoutre com nichos dedicados às marcas parceiras, coabitando em plena sintonia e unificando a oferta num local único.

Atualmente, existem sete espaços Torres abertos ao público: Avenida da Liberdade, Boutique Rolex, Cascais, Cascaishopping, Centro Comercial Colombo, Ourivesaria Pimenta e Torres Sede, na Rua Áurea.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

2010

Boutique Rolex em Portugal

Comemoração do centenário Torres com a realização de uma exposição única de Alta Relojoaria e Joalharia e apresentação da nova coleção de jóias CEMTURY by Torres.

Com a entrada num novo milénio, o desejo de especializar a oferta e reforçar a relação de mais de 40 anos com a Rolex veio ao de cima. Para a comemoração do Centenário Torres foi criada uma edição especial com a gravação de fábrica Torres 100 anos. Em dezembro de 2010, ao lado da joalharia Torres, é inaugurada a primeira e única Boutique Rolex em Portugal, no Centro Colombo, espelhando as já existentes nas principais capitais do mundo.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

2008

Abertura de loja no centro comercial CascaiShopping

Inauguração da segunda loja em Centro Comercial. A aposta no CascaiShopping torna-se determinante na expansão e robustez da marca TORRES na grande Lisboa.

Neste estabelecimento é possível encontrar marcas de renome como CHANEL, Jaeger-LeCoultre, TAG Heuer entre muitas outras.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

2007

Relógio do Arco da Rua Augusta por Jaeger-LeCoultre


A Jaeger-LeCoultre, prestigiada manufatura relojoeira suíça, devolveu o relógio do Arco da Rua Augusta à cidade de Lisboa, em parceria com a Torres e o IGESPAR.

Guardar

Guardar

Guardar

2006

Raymond Weil Carlos do Carmo

Torres apresenta um relógio de tributo ao maior fadista português, com a edição limitada “Raymond Weil Carlos do Carmo”. Parte do valor das vendas do modelo reverteu para a Casa do Artista.

Ao longo dos anos, Torres Joalheiros tem estado atenta aos grandes valores culturais e estéticos, consciente da sua intemporalidade e do diálogo íntimo que desenvolvem entre si. Como empresa fortemente ancorada a uma sólida tradição de qualidade e rigor, está em condições privilegiadas para compreender o lugar das artes no panorama cultural.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

2004

Tapada Nacional de Mafra

A preocupação social é desde sempre uma característica da Torres. Em 2004, nove meses após o violento incêndio que fustigou a Tapada Nacional de Mafra, a Torres através da Fundação Audemars Piguet (marca do grupo) e a Direcção-Geral dos Recursos Florestais uniram-se com o objectivo de recuperar e reflorestar as zonas atingidas.

Nesta fase, a arte de ser joalheiro, personalizada nos irmão João Carlos e Pedro Torres, encontra expressão adequada nos elementos valorativos de prestígio que conduziram à exploração de novos rumos, com tradução exemplar na representação de marcas suíças famosas como a Piaget, Rolex e Chopard, e na procura de mercados em continentes longínquos.

Guardar

Guardar

Guardar

2000 - 2003

Projeto Reverso/Arte Portuguesa de Jaeger-LeCoultre

O verso do Jaeger-LeCoultre Reverso serviu de tela a icónicas manifestações artísticas de arte intemporal. Um desafio conduzido pela Torres e aceite por Júlio Pomar (2000), Manuel Cargaleiro (2001), Paula Rego (2002) e José de Guimarães (2003), do qual resultaram relógios artísticos de elevado valor intrínseco e emocional, procurados por grandes colecionadores internacionais.

2002_2003

Torres Joalheiros torna-se num conjunto homogéneo de empresas, pontos de venda e negócios que olha com confiança para o milénio atual. A Quinta Geração da família conta com 4 pilares, Ricardo e Paulo, filhos de João Carlos Torres e Marta e José Pedro, filhos de Pedro Torres que prosseguem com empenho e criatividade a tradição Torres!

Guardar

Guardar

Guardar

1997

Inauguração da primeira loja em centro comercial com a abertura do Centro Colombo

Para além de algumas inovações relacionadas com a criação do cartão cliente e serviço de assistência pós-venda, a década de 90 foi marcada pela abertura do centro comercial Colombo.

Neste mesmo espaço recém-aberto de Lisboa, é inaugurada a quinta loja Torres, a primeira num centro comercial. Este novo conceito apresentou montras mais amplas, mais luminosas e materiais nunca antes utilizados num espaço Torres. Foram criadas pequenos espaços para cada marca, iniciando, assim, o conceito de shop in shop nos espaços Torres.

Durante os anos 90, a tradição e a qualidade na arte de criar joias exclusivas e originais para um nicho de mercado exigente e requintado continua patente nas coleções de peças de joalharia portuguesa que são trabalhadas manualmente e executadas por encomenda por um gabinete de design.

A exportação de artigos em prata, ouro e joias para o Médio Oriente, Norte da Europa, EUA e América do Sul é outra vertente de negócios da empresa em crescimento.

Guardar

Guardar

1990 - 1995

A quarta joalharia Torres, na Avenida de Roma


Numa das ruas mais movimentadas de Lisboa, lado a lado com as melhores marcas da moda internacional é inaugurada a quarta joalharia Torres, na Avenida de Roma. A mudança de década trás também a abertura da loja Aboim, antiga Pimenta, depois de 39 anos no pavilhão do Martim Moniz pertencente à Câmara Municipal de Lisboa.

Desenhada para parecer que se está no interior de uma caixa de jóias e sob o tema arquitectónico “A Mulher e a Jóia”, é inaugurada a loja da Av. De Roma, uma loja mais pequena do que o habitual mas com todo o carisma da marca Torres.

Guardar

Guardar

Guardar

1987

Terceira loja Torres, na Rua Direita, em Cascais

Em 1985, é criada a rede de agentes e distribuidores a nível nacional. Um ano depois iniciam a sua atividade na empresa os atuais administradores, Ricardo e Paulo Torres. Em 1987, é inaugurada a terceira loja Torres, na Rua Direita, em Cascais, apesar da época de turbulências políticas, económicas e sociais.

Na tranquilidade do ambiente turístico da prestigiada Rua Direita em Cascais, vila típica piscatória, próxima dos notáveis centros turísticos do Estoril, mostra todas as marcas relojoeiras suíças e uma vasta gama de joalharia e pratas exclusivas Torres.

Marcas de relógios de prestigio como Piaget, Rolex, Chopard, TagHeuer, Burberrys e Jean Perret marcam agora presença nos pontos de venda Torres, acompanhados pelas peças de ouro, prata e joias na melhor linha da tradição portuguesa.

Guardar

Guardar

Guardar

1970 - 1980

Relojoaria Maury na Baixa, adquirida pela família Torres

A relojoaria fundada em 1859, na Baixa Pombalina, pelo suíço J. Maury – atualmente uma pastelaria – é comprada pela família Torres. Espaço enobrecido pela diversidade das marcas suíças de prestígio que expõe.

A par da inequívoca vocação de João Carlos Torres para os negócios, surgia um estilo de gestão personalizado segundo uma imagem moderna e criativa. Esta faceta, indispensável numa empresa virada para a arte de bem ornamentar, na qual se revela eximia, atualizada e, até na vanguarda dos seus pares, é alicerçada pela prestação igualmente inestimável de Pedro Torres.

Guardar

Guardar

Guardar

1966

Primeira loja com o nome da família Torres, junto do famoso ascensor de Santa Justa, no coração da baixa de Lisboa

Nesta década o nome Torres já era sinónimo de qualidade, requinte e exclusividade no mundo da joalharia, levando a que a empresa exportasse os seus artigos em prata, ouro e joias para todos os cantos do mundo. João Carlos Torres, bisneto de Anselmo Torres, passa a gerir o negócio criando novos métodos de gestão, pontos de venda sofisticados, com atendimento personalizado e desenvolvimento de novos nichos de mercado.

Em 1966, João Carlos Torres inaugura na Rua do Ouro, à esquina do elevador de Santa Justa, a primeira loja com a marca Torres. O novo estabelecimento possui um grande salão de exposição de pratas tradicionais portuguesas, enriquecido pela exibição de coleções únicas de miniaturas de coches, barcos típicos do Tejo e de relógios de bolso e de pulso do museu Torres. Este salão perdura na atualidade com a essência do passado, uma verdadeira relíquia a visitar e apreciar.

Foi a partir desta data que Torres Joalheiros criou o seu posicionamento tornando-se num ícone no setor da joalharia e posteriormente na distribuição de alta relojoaria. A quarta geração é também a das mulheres na família, contando com a preciosa colaboração de Rita e Filomena Torres.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

1950

Ourivesaria Pimenta, na esquina da Rua Augusta com a Rua de Santa Justa, em 1950


Duas décadas mais tarde, face ao começo de obras de remodelação do largo Martim Moniz, a família toma a decisão de abrir um novo estabelecimento comercial numa das zonas nobres da cidade de Lisboa, na esquina da Rua Augusta com a Rua de Santa Justa.

Durante os 16 anos seguintes a Torres Joalheiros solidifica a sua marca, os seus clientes e sua filosofia de negócio – atendimento personalizado e aconselhamento das melhores condições de venda e exportação – preparando-se para a abertura da primeira loja com a insígnia Torres Joalheiros.

Guardar

Guardar

Guardar

1935

Ourivesaria Barateiro Pimenta, na Rua de Palma, em 1930


Carlos Torres foi o primeiro ourives Torres em tempo inteiro, que, ainda jovem, começou gerir a ourivesaria e mais tarde, em 1930, traz o negócio para Lisboa e adquire a Ourivesaria Barateiro Pimenta, na Rua da Palma. Este espaço, nas instalações atualmente ocupadas pelo Hotel Mundial, em pouco tempo, torna-se uma das principais referências no sector da prataria e ourivesaria. O seu filho Carlos Augusto Torres, homem de grande visão e entusiasmo, foi decisivo para o sucesso Torres.

Guardar

Guardar

1910

Fachada do primeiro estabelecimento da família localizado em Torres Vedras, nos arredores de Lisboa.

Foi nesta data que Anselmo Torres deu origem ao negócio de família que conhecemos hoje como Torres joalheiros. Alfaiate de profissão, foi através dos fatos por medida, verdadeiro precursor do “pronto-a-vestir”, começou a criar nos seus clientes o gosto pelo uso de adereços em ouro que complementavam e davam um toque especial ao que vestiam.

O espírito empreendedor de família começa a revelar-se também em Carlos Torres, filho de Anselmo, que com apenas 13 anos, auxilia o seu pai a dar início à atividade de ourives, no ano de 1913. Torres Vedras torna-se no berço da viagem desta família que, ao longo de cinco gerações, moldou a história da joalharia em Portugal.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar